Família Feital


Personalidades de destaque

Ramo Noronha Feital

          Ramo descendente direto  de primeiras familias do Rio de Janeiro, como elencados na obra de C.G.                 Rheinghantz, como: Antonio de Almeida:  Patriarca de uma das mais antigas familias do Rio de                     Janeiro, casado com Dorotea de Alvarenga;  Domingos de Muros

           Augusta Maria Franzini:  foi uma das escritoras que deixaram marca na cultura literária portuguesa                  entre 1800 e 1850 com a publicação em 1846 de "Exposição dos cruéis tractamentos que soffreu D.                Augusta Maria Franzini..."   

           Diogo José de Paiva e Silva:  comandou a esquadra que trouxe D. João VI ao Brasil. Professo na                        Ordem de São Bento de Aviz, e capitão de mar e guerra das reais fragatas.

Francisco Manuel Chaves Pinheiro:  foi  na escultura um dos melhores artistas nacionais,e cujas obras encontram-se em museus,  igrejas, edificios publicos, e  em diversos  locais do Rio de Janeiro. Recebeu o Hábito da  Ordem da Rosa (1859) e foi  Cavalheiro da Ordem de Cristo.

João Baptista Biancardi: foi músico instrumentista da Real Câmara de Lisboa, tocando a viola e foi organista da Santa Igreja Patriarcal de Lisboa.

João Pereira de Souza Botafogo: foi capitão-mór da Capitania de São Vicente, um dos primeiros colonos ali e depois do Rio de Janeiro, de quem o bairro pegou o nome.

Jorge de Noronha: Guarda do Numero da Casa da India e Carcereiro da Cadêa da Corte em Portugal.

Jorge Joaquim de Noronha Feital: Capitão-Mór da Companhia de Ordenanças de Inhaúma, Rio de Janeiro e Comandante da Guardo do Registro de Paraíbuna, S. Paulo.

José Maria de Noronha Feital: médico pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro (1839), Primeiro Cirurgião do Hospital de Marinha (1853). Oficial da Imperial Ordem da Rosa em 2/2/1850, Cavaleiro da Ordem de S. Bento de Aviz em 10/12/1849 e Cavaleiro da Ordem de Cristo no Brasil em 15/1/1861.

Manuel Ferreira Feital: negociante de loja aberta, mercador de grosso tracto no Rio de Janeiro e fazendeiro na freguezia de Nossa Senhora da Piedade, Magé, Rio de Janeiro, com patrimonio avaliado em 30 000 cruzados em 1730; familiar do Santo Oficio.

Maria do Carmo de Noronha Feital:  foi afilhada de D. José, Principe do Brasil e primogênito de D. Maria I e irmão do futuro D. João VI, por procuração pelo Marquês de Penalva.

Marino Miguel Franzini: Conte de Tarmassia, coronel, diretor do Arquivo Militar, Inspetor da Cordoara, sócio da Academia das Ciências de Lisboa, comendador da Ordem de Cristo, fidalgo da Casa Real, em Portugal em 1847 Ministro da Fazenda e em 1851, Ministro da Fazenda e também Ministro de Justiça.

Miguel Maria de Noronha Feital: Deputado Provincial, Cavaleiro da Imperial Ordem da Rosa e Cavaleiro da Ordem de Cristo. Fundador da Loja Maçonica União e Progresso em Vitória (1872), Espirito Santo, que ainda continua, sendo a mais antiga daquele estado. Foi do grau 33, e membro honorário do Supremo Conselho do Rito Escocês Antigo e Aceito.

Nicolas Casimir Caumont: Ex-vereador municipal de Rouen, prefeito de Jumièges em 14 de outubro de 1830. Vice-cônsul do Brasil e de Portugal em 1820. Juiz no Tribunal Comercial de Rouen (1815-1817 e 1834-1836), presidente da Caisse d'épargne de Rouen (1826), presidente do tribunal comercial (1824-1827 e 1836-1839), presidente da câmara de comércio de Rouen (1834 a 1836), presidente do conselho de administração do banco de Rouen (1836), presidente da Cie Rouennaise (empresa de reboque no Sena) (1837), administradora da Cie das ferrovias de Dieppe e Fécamp (1844).

Pedro Esteves: Segundo genealogias publicadas, descende de Carlos Magno, de Fernando I de Castela, de Ramiro II, rei de Leão e de Addallah bin Muhammed, Sétimo Emir de Córdova.

Theodoro José Biancardi:  Foi do Conselho de Sua Majestade Imperial e Oficial Maior da Secretaria do Estado dos Negócios do Império e da Câmara dos Deputados no Brasil. Coube-lhe a redação final do Diário da Constituinte de 1823. Oficial Maior da Secretaria do Estado dos Negócios do Império.



Ramo da Silva Feital

Alexandre da Silva Feital : Fazendeiro de café na região de Itaguaí, onde adquiriu terras em 1820. Em 1836, foi contratado pelo Governo da Província do Rio de Janeiro para a construção da ponte do Bananal, sobre o rio Guandu, na Estrada geral do Pirahy.



Voltar